Quando Martyn Lloyd-Jones foi rejeitado

Muitos dos que leem e são edificados com os livros do Dr. Martyn Lloyd-Jones hoje, não sabem o quanto ele foi rejeitado e isolado em seu ministério na Capela de Westminster. Não que o Dr. fosse alguém insociável, muito pelo contrário, quem o conheceu de perto sabia que ele era o tipo de cristão que ninguém queria sair de sua presença. Os que o rejeitavam, faziam isso porque ele não era o típico pastor modinha que negociava a Verdade do Evangelho em nome de uma cátedra entre os teólogos famosos de seu tempo.

Martyn Lloyd-Jones rejeitou apoiar as cruzadas de Billy Graham porque este colocava em seu púlpito teólogos liberais, católicos romanos, neo ortodoxos etc. Isso lhe gerou rejeição. Ele estava preocupado com a pureza da igreja de Cristo, não meramente com seu crescimento. Isso lhe gerou rejeição. Ele não seguia as tendências homilética da época. Isso lhe gerou rejeição. Ele pregava contra o pecado. Isso lhe gerou rejeição. Ele anunciava Cristo como único e suficiente Senhor e Salvador. Isso lhe gerou rejeição. Ele afirmava a inerrância bíblica, bem como sua inspiração como Palavra de Deus. Isso lhe gerou rejeição. Ele não fazia média com políticos que iam a Capela. Isso lhe gerou rejeição. Ele teve sérios embates com F.F.Bruce. Isso lhe trouxe rejeição. Também teve sérias discordâncias com Stott. Isso lhe cunhou rejeição.

Lloyd-Jones foi um homem rejeitado entre os grandes nomes da teologia de sua época. Foi um homem que produziu muito com suas pregações. Porém, a grandeza de seu ministério se tornou notória já no final de sua vida e após ela. Certa feita um jovem passou pela igreja de Stott, e Stott o perguntou: você conhece o Dr. Martyn Lloyd-Jones? O jovem respondeu: Sim, o conheço. Stott perguntou novamente: Você o segue? O rapaz respondeu: Não, eu não o sigo. Então Stott emendou: Pois eu o sigo. Poucos, como Stott, tinham o Dr. em alta conta e sabiam do seu valor para a Igreja de Cristo no século XX.

Esta rápida história sobre o Dr. Lloyd-Jones nos ensina que nosso foco nunca deve estar em sermos aceitos ou não, mas sim em sermos fiéis ao Evangelho de Cristo. Enquanto muitos de seu tempo buscavam relevância, ele simplesmente pregava fielmente as Escrituras. Enquanto inúmeros buscavam a fama eclesiástica, ele simplesmente ensinava as Escrituras ao seu povo. É nisso que devemos empenhar nossa vida e ministério, pregar fielmente as Escrituras. A tendência inicial é sofremos rejeição. Há um ódio no coração mundano contra a pregação fiel. No entanto, esse trabalho todo germinará e dará os seus frutos para a glória de Deus, ainda que não estejamos mais aqui. Spurgeon dizia: “Não espere ser bem aceito num mundo que rejeitou o seu Senhor”. Apenas prega a Palavra!